Conversa com o Papa

Vejam a conversa do Papa com os adolescentes crismandos em Milão...

PERGUNTA DE UM MENINO
Olá, sou o David e eu sou de Cornaredo. Eu queria fazer uma pergunta: Mas você, quando você era  da nossa idade, o que lhe ajudou a crescer na amizade com Jesus?
Papa Francisco:
Boa noite!
David fez uma pergunta muito simples, que é fácil para mim responder, porque eu só precisa fazer alguma memória dos tempos em que tive a sua idade. E a pergunta é: "Quando você era da nossa idade, o que lhe ajudou a crescer na amizade com Jesus". Eles são três coisas, mas com um fio comum que liga todos os três. A primeira coisa que me ajudou foram os meus avós. "Mas como, Papa, os avós podem ajudá-lo a crescer a amizade com Jesus?". O que você acha? Pode ou não pode?
meninos:
Sim!
Papa Francisco:
Mas os avós são velhos!
meninos:
Não!
Papa Francisco:
Não? Não são velhos?
meninos:
Sim!
Papa Francisco:
Eles são velhos ... avós são de outra época: os avós não sabem como usar o computador, não tem telefone ... Pergunto novamente: avós, podem ajudá-lo a crescer na amizade com Jesus?
meninos:
Sim!

Quaresma: por que o roxo?

Todo mundo já está cansado de saber que a cor da quaresma é roxo. 
Alguém sabe por quê?


Bem...
A cor roxa, é considerada como a cor da espiritualidade, da sabedoria e da inteligência pelos especialistas em marketing.

Na liturgia é usada no advento como sinal de recolhimento em preparação à festa da Encarnação.

Na Quaresma é recolhimento e penitência que convidam à conversão, jejum e oração. Atitudes que indicam que uma grande festa se aproxima e precisa ser preparada.
Afinal, queremos assumir uma vida nova em Cristo a cada dia.

Nascimento de Madre Clélia

Uma mulher forte. 
Virtuosa. 
De fé inabalável.
Capaz de sacrificar-se pelo bem do próximo e doar-se totalmente a exemplo de Cristo.
Assim, foi Clélia Merloni.
Nascida aos 10 de março de 1861, viveu a dor da perda ainda aos 3 anos.
Após a morte da mãe cresce sob os cuidados da avó e, depois, de uma boa madrasta que lhe ensina a amar a Cruz.
Sempre desejosa de estar perto de Deus, sente o desejo de doar-se, de dedicar-se aos mais fracos, aos mais pobres e indefesos.
Depois de longo tempo, consegue convencer o pai que lhe permite ser religiosa.
Na doença, sente o apelo do Coração de Jesus, por intercessão do Coração de Maria, para iniciar uma obra a Ele dedicada.
Viareggio, 30 de maio de 1894 é o dia da concretização deste desejo.
Sofreu a falência, a incompreensão, a exclusão, a traição... mas em tudo via a ação misteriosa de Deus e se fortalecia na fé.
Perseverante na oração, confiava infinitamente no Coração de Jesus.
Assim foi Clélia.

Assim ela nos ensina como seguir o Mestre, tornando-O mais conhecido e amado.


Semana Cleliana



Com Madre Clélia, aprendemos a amar e confiar sempre no Coração de Jesus.


Ele nos ensina:

"Quando ruge a tempestade, refugia-te na cela do Coração de Jesus, e consola-te com a esperança que suas promessas despertam, perpetuamente, em toda alma piedosa. Ele disse: Procuras ser toda dele, a força para cumprir o dever, a paz do coração, a alegria da consciência..."